Um chamado à ação: Semana Internacional Contra a Militarização da Juventude

um-chamado-a-acao-semana-internacional-contra-a-1

 

Você gostaria de tomar medidas contra a militarização da juventude junto a muitas outras pessoas por todo o mundo?

Você pode unir-se à semana de ação da Internacional de Resistentes à Guerra que terá lugar entre 14 e 20 de novembro.

A Internacional de Resistentes à Guerra está organizando a terceira Semana Internacional de Ação contra a Militarização Juvenil de 14 a 20 de novembro deste ano. A semana é um esforço em conjunto de ação antimilitarista em todo o mundo, cujo propósito é conscientizar sobre, e desafiar, as maneiras como os jovens são militarizados e dar voz às alternativas.

No ano passado a semana se celebrou com várias atividades, incluídas ações diretas, conversas, oficinas e muitos outros eventos, com a participação de grupos de muitos países, incluídos Colômbia, Grã-Bretanha, Alemanha, Finlândia, Nepal, Nova Zelândia, Espanha, EUA e Turquia. Os eventos do ano passado foram uma continuação da primeira semana de ação celebrada em 2014 e um dia de ação celebrado em 2013.

Recrutamento de mentes e corpos

Hoje em dia os militares, os grupos armados e outros que se beneficiam da guerra estão usando várias maneiras para acessar à juventude, não só para recrutar corpos, mas também para recrutar mentes para a causa militar. Em alguns países, a militarização da juventude é mais aparente e óbvia – jovens (principalmente, ainda que não exclusivamente, homens) estão sendo forçados a unir-se ao exercito através do alistamento. Isto também poderia incluir o recrutamento forçado e o recrutamento de crianças. Em muitos lugares – inclusive lugares onde o alistamento foi suspenso ou abolido – os governos, os traficantes de armas e outros especuladores da guerra tem um interesse direto no doutrinamento da juventude para que sejam positivos em relação às ações militares.

Que estratégias e práticas estão seguindo estas partes governamentais e não governamentais para poder convencer à juventude de que apoiem, ativa ou passivamente, sua causa militar? Que podemos fazer para contrariar estas estratégias dos especuladores da guerra? Na semana de ação deste ano estamos nos centrando, principalmente, nas muitas maneiras nas quais mentes e corpos dos jovens são recrutados para as forças armadas e a guerra.

Que pode fazer?

Se te interessa unir-se aos ativistas de todo o mundo que estão tomando medidas contra a militarização da juventude, entre em contato conosco através de cmoy@wri-irg.org. Por favor, visite antimili-youth.net para atualizações e mais informação.

Organize sua própria ação não violenta como parte da Semana de Ação Contra a Militarização da Juventude! Conte-nos o que está planejando (ações diretas, fóruns públicos, conversas, projeções de filmes, campanhas pela internet, etc.) Se a ação é pública, a publicaremos para difundi-la.

Não está seguro do que fazer? Contate-nos e falaremos sobre algumas propostas ou te colocaremos em contato com gente de seu país que já esteja planejando algo. Entre em a antimili-youth.net/articles/2015/11/report-international-week-action-against-militarisation-youth para ver exemplos dos eventos do ano passado.

IRG-WRI (Internacional de Resistentes à Guerra)

Tradução > Caróu

agência de notícias anarquistas-ana

no inverno, o vento
dança com as folhas
a seu contento

Eugénia Tabosa

MPE denuncia irmãos por homofobia e apologia ao nazismo no Piauí

mpe-denuncia-irmaos-por-homofobia-e-apologia-ao-1

 

O Ministério Público Estadual, através do promotor João Malato Neto, denunciou à Justiça, nesta quarta-feira (10), os irmãos Lucas Veríssimo de Sousa e Dijael Veríssimo de Sousa. Os dois são suspeitos de crime de apologia ao nazismo, previsto no art. 20, § 2º e § 1º da Lei nº 7.716/89 e homofobia.

Em 2014, a fundadora do Grupo Matizes, Marinalva Santana, denunciou o caso, afirmando que um grupo chamado “Irmandade Homofóbica” estava fazendo ameaças de morte direcionadas à ela e ao público LGBT em geral.

Em uma das intimidações, os indiciados deixaram um bilhete nas proximidades de um salão de beleza em que trabalhavam homossexuais. No papel, havia ameaça de morte através de uma mensagem homofóbica, além do símbolo da suástica.

Também foram compartilhadas postagens homofóbicas na página do Facebook do Grupo Matizes. Na época, a entidade, que defende os direitos das lésbicas, gays, bissexuais e travestis- comunidade LGBT, registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Direitos Humanos e Repressão às Condutas Discriminatórias. Em fevereiro deste ano, o delegado titular da especializada, Emir Maia, indiciou Lucas Veríssimo e Dijael Veríssimo.

As investigações foram feitas através da quebra de sigilo de endereço eletrônico dos suspeitos. Diversos documentos e diálogos relacionados à discriminação e preconceito de raça, cor e etnia foram encontrados com os acusados.

Na denúncia, o promotor João Malato afirma que aguarda a citação e o interrogatório dos denunciados, além da junta dos antecedentes criminais destes para examinar a necessidade de requerer suas prisões preventivas. Para Marinalva Santana, o entendimento do Ministério Público, de enquadrar a conduta praticada por integrantes da Irmandade Homofóbica na lei nº 7716/89 é importante, porque reforça a tese do movimento LGBT, que defende a alteração da Lei nº 7716/89 para incluir também a criminalização da homofobia.

“Como sabemos, as manifestações de ódio contra LGBT geralmente partem de pessoas conservadoras, influenciadas pela cegueira do fundamentalismo religiosos e/ou por ideias racistas, como as que sustentaram o nazismo”, destaca Marinalva Santana.

Fonte: http://cidadeverde.com/noticias/226845/mpe-denuncia-irmaos-por-homofobia-e-apologia-ao-nazismo-no-piaui

agência de notícias anarquistas-ana

A lua da montanha
Gentilmente ilumina
O ladrão de flores.

Issa

Coletivo anarquista espalha estátuas de Donald Trump nu pelos EUA

coletivo-anarquista-espalha-estatuas-de-donald-t-1

 

Estátuas de Donald Trump totalmente nu foram espalhadas pelos Estados Unidos por um coletivo artístico anarquista como forma de protesto. O grupo Indecline instalou as imagens do candidato republicano à presidência na madrugada desta quinta-feira (18/08) em cinco cidades: Nova York, São Francisco, Seattle, Los Angeles e Cleveland.

As estátuas fazem parte do projeto “The Emperor Has No Balls” (O Imperador Não Tem Culhões), que tem por objetivo protestar contra a visão política e as declarações controversas de Trump. As imagens também satirizam a tendência de líderes autoritários de erguer grandes monumentos em sua homenagem.

O autor da obra, um artista de Las Vegas conhecido como “Ginger”, foi escolhido para o projeto por sua longa experiência em desenhos baseados em monstros, casas assombradas e filmes de terror.

A ideia do Indecline foi gestada durante meses, inspirada na história do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, ” A roupa nova do imperador”, um conto sobre um líder vaidoso que acaba sem roupa por puro orgulho, segundo explicou um porta-voz do coletivo ao jornal “The Washington Post”.

Com a exposição das estátuas, o grupo também pretende ridicularizar a tendência de líderes autoritários de erguerem monumentos de si mesmos.

“Gostemos ou não, Trump é uma figura exuberante na cultura do mundo neste momento”, acrescentou o porta-voz, que falou sobre o projeto com o jornal americano sob condição de anonimato.

“Olhando para trás na história, é assim que esses personagens foram imortalizados e idolatrados em seu tempo, com estátuas”, argumentou.

As redes sociais se encheram de fotos dos usuários posando ao lado da figura ridicularizada do multimilionário. Também não faltou bom humor por parte das autoridades que tiveram de remover as estátuas.

Em sua conta no Twitter, um porta-voz do Departamento de Parques de Nova York comentou ironicamente: “(O Departamento de) Parques de NYC se opõe firmemente a qualquer ereção não permitida nos parques da cidade, por menor que seja”, em alusão aos genitais mínimos que Trump exibe nas esculturas.

As polêmicas estátuas apareceram vários meses depois que o coletivo anarquista cobriu as estrelas da Calçada da Fama de Hollywood com os nomes de cidadãos afro-americanos mortos pela polícia nos últimos meses.

Anteriormente, o coletivo também reivindicou a autoria de um mural na fronteira entre os Estados Unidos e o México no qual se vê a figura do magnata nova-iorquino com uma bola de borracha na boca e a legenda “Rape Trump” (Estuprem Trump), em clara alusão às declarações nas quais o republicano chamou os imigrantes mexicanos de estupradores.

Diante do sucesso que tiveram as recentes estátuas e da chegada das intensas semanas de campanha eleitoral, é provável que a exibição das partes íntimas do multimilionário em público não seja a última façanha com a qual o coletivo anarquista surpreenderá o público. O tempo dirá.

Vídeo de como foi feita a estátua: https://vimeo.com/178856447

Fonte: agências de notícias

Conteúdo relacionado:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2016/08/16/eua-minneapolis-chamado-antifascista-para-o-evento-angariador-de-fundos-do-trump/

agência de notícias anarquistas-ana

Folha no rio
vai para o mar sem volta –
chorão se renova.

Anibal Beça

Anarquia Primitiva – Das origens ao colapso da civilização

anarquia-primitiva-das-origens-ao-colapso-da-civ-1

 

Blog de orientação anarquista verde/anarcoprimitivista, dedicado à difusão do pensamento anarquista anticivilização. Anarquia Primitiva é uma iniciativa que visa contribuir para o aprofundamento e a radicalização do debate sobre a natureza da civilização – suas origens, desenvolvimento e colapso –, não só dentro do movimento anticivilização, mas junto ao movimento anarquista e o movimento ecológico radical como um todo, através da publicaç ão de traduções e textos autorais, com foco na crítica à civilização. Tem como proposta ser um espaço antiautoritário aberto, que promova o diálogo e a controvérsia filosófica, a fim de que, com a contribuição crítica de seus interlocutores, mantenha-se viva e propague-se a chama insurrecionária do pensamento ecológico radical e da resistência contra a civilização.

Blog: anarquiaprimitiva.noblogs.org

E-mail: anarquiaprimitiva@riseup.net

agência de notícias anarquistas-ana

Pardal orfãozinho
vem brincar
comigo

Cláudio Fontalan

Chamada para Semana Internacional pelos Presos Anarquistas, de 23 a 30 agosto de 2016

chamada-para-semana-internacional-pelos-presos-a-1

 

No verão de 2013, membros de vários grupos da Cruz Negra Anarquista (CNA) discutiram a necessidade de um Dia Internacional pelos Presos Anarquistas, visto que já existem datas estabelecidas – como o Dia dos Direitos dos Presos Políticos ou o Dia da Justiça – sendo importante destacar as histórias de nossos companheiros também.

Muitos anarquistas presos nunca serão reconhecidos como “presos políticos” pelas organizações formais de Direitos Humanos, porque seu senso de justiça social é estritamente limitado às leis capitalistas, que são projetadas para defender o Estado e impedir qualquer mudança social real; ao mesmo tempo, inclusive dentro de nossas comunidades individuais, sabemos muito pouco sobre a repressão que existe em outros países, para não mencionar os nomes e os casos de muitos de nossos com panheiros presos.

É por isso que decidimos introduzir uma Semana Anual para os Presos Anarquistas, de 23 a 30 de agosto de 2016. Escolhemos o 23 de agosto como ponto de partida, porque nesse mesmo dia, em 1927, os anarquistas italianos Nicola Sacco e Bartolomeo Vanzetti foram executados na prisão. Foram condenados pelo assassinato de dois homens, durante um assalto à mão armada em uma fábrica de sapatos em South Braintree, Massachusetts. As prisões foram parte de uma campanha mais ampla antirradicais liderada pelo governo dos EUA. As provas do Estad o contra os dois foram quase que completamente inexistentes e muitas pessoas até hoje acreditam que eles foram punidos por suas fortes crenças anarquistas.

Dada a natureza e a diversidade dos grupos anarquistas em todo o mundo, propomos uma semana de ação comum, em vez de uma única campanha em um dia específico, tornando mais fácil para os grupos poder organizar um evento dentro deste período.

Por isso, chamamos a todos para divulgar a Semana Internacional dos Presos Anarquistas entre outros grupos e comunidades, bem como a pensar sobre a organização de eventos em sua cidade ou região. As atividades podem variar em rodas de informações, projeções de filmes, concertos de solidariedade até ações diretas. Deixe sua imaginação correr livre.

Até que todos estejam livres!

325 (Grupo anarquista de contrainformação); CNA Bielorússia; CNA Brighton; CNA Bristol; CNA Cardiff; CNA Finlândia; CNA Kiev; CNA República Tcheca; CNA Letônia; CNA Leeds; CNA Londres; CNA México; CNA Moscou; Nizhny Novgorod (Grupo Antirrepressão); CNA São Petersburgo.

agência de notícias anarquistas-ana

tarde cinza
borboleta amarela
toda luz do dia

Alexandre Brito