[Espanha] Coerência de meios e fins

por José Luis Velasco | 21/08/2019

A ideologia política do anarquismo como “ideia motriz” de transformação política, econômica, social, cultural e ética, realiza a liberdade e a igualdade real e integral das pessoas por meio da coerência dos meios e dos fins: a ação direta, sem ditaduras políticas nem sindicais, nem de nenhum tipo. Sendo sua expressão máxima os acordos livres e voluntários em condições de igualdade para todos, com a firme vontade de respeitá-los e aplicá-los, acordos adotados em igualdade de condições na base da sociedade: a assembleia sindical e social.

O acordo firmado em assembleia é a verdadeira liberdade individual e coletiva, em igualdade de condições, a capacidade de decidir livre, igual e soberanamente por todos. Todos iguais, todos livres, todos com a mesma capacidade de decisão, e a mesma vontade de respeitar os acordos adotados, cumpri-los e aplicá-los. Acordos livres e voluntários, entre partes livres e iguais.

“O acordo firmado em assembleia é a verdadeira liberdade individual e coletiva, em igualdade de condições”.

A base do anarquismo é a liberdade como capacidade política do ser humano de decidir por si mesmo de forma igual a todos os demais, liberdade e igualdade são termos que caminham juntos sempre, não se pode compreender um sem o outro.

Essa coerência de meios e fins do anarquismo faz com que todas as nossas realidades de princípios, estratégias, táticas e propósitos sejam significativas e a garantia de nossa transformação social, sem imposições ou ditaduras de qualquer tipo, nem sindicais.

O anarquismo como ideia fundamental do anarcossindicalismo constrói uma organização livre e igual, de acordos livres e voluntários, entre partes livres e iguais, em igualdade de condições, sem imposições de nenhum tipo, por ser a imposição à essência da autoridade, do poder, do governo, das classes sociais, da exploração e da injustiça: da ditadura em toda sua amplitude, exercida sempre pela violência.

“A maior negação do anarquismo que pode existir é a ditadura política e sindical de pessoas autoritárias e dogmáticas”.

Autoridade, poder e violência exercida de forma sistemática pelos inimigos da liberdade e da igualdade, executada por aqueles que perseguem a Ditadura em qualquer uma de suas manifestações: política, econômica, social, religiosa, militar, sindical e pessoal. E também a ditadura levada a cabo por aqueles que se auto intitulam anarquistas mas exercem uma prática ditatorial sob um palavreado anarquista e violência excessiva contra aqueles que eram seus próprios companheiros. Violência e ódio semelhantes aos de Caim que só podem ser explicados pela ditadura política e sindical de pessoas autoritárias e dogmáticas, equivocadas em sua totalidade, que querem impor uma Ditadura por meio da violência. Essa é a maior negação do anarquismo que pode existir.

Para nós, anarquistas, a organização se constrói na base da coerência dos meios e dos fins, e o respeito aos acordos livres entre partes livres e iguais. Esta é a organização anarcossindicalista.

Fonte: https://www.cnt.es/noticias/coherencia-de-medios-y-fines/

Tradução > Daitoshi

agência de notícias anarquistas-ana

sementes de algodão
agora são de vento
as minhas mãos

Nenpuku Sato

Leave a Reply