[França] Violência policial: uma carta aberta desde Calais

Para o Prefeito de Pas-de-Calais

Para os meios de comunicação

Para todas as pessoas interessadas

Calais, Segunda-feira, 13 de abril de 2020

Carta Aberta da Comunidade da Eritreia da Selva de Calais

Antes de começarmos a escrever a nossa denúncia sobre o que nos está acontecendo com o CRS (Compagnies Républicaines de Sécurité), gostaríamos de dizer algo sobre nós mesmos; somos migrantes da Eritreia. A razão pela qual estamos aqui é porque queremos viver num lugar seguro e ter um futuro. Não somos criminosos, somos apenas migrantes inocentes tentando ir para o Reino Unido e seguir os nossos sonhos.

A nossa denúncia é relativa à empresa CRS e às suas ações agressivas e impulsivas sobre nós.

Eles não nos consideram como humanos. Eles nos chamam de macacos, cadelas, etc…

E algumas semanas atrás, começaram a ameaçar as nossas vidas espancando-nos continuamente sempre que têm a oportunidade, como, por exemplo, quando eles encontraram duas ou três pessoas andando pela rua da comida (perto do local de distribuição de alimentos) ou, nas nossas tendas quando estamos dormindo.

Na rua, eles constantemente aceleram seus carros na nossa direção, como se quisessem nos atropelar, e começaram a levar pessoas com eles para alguns lugares fora de Calais e espancá-las até desmaiarem.

Eles escondem o seu código pessoal quando estão fazendo algo de errado. E sempre que eles observam que os estamos gravando enquanto fazem isso, eles quebram os nossos celulares e os nossos corpos.

Abaixo está uma lista de todos os atos recentes de violência que enfrentamos. Todos aconteceram em Calais e foram executados pelo CRS.

• 26 de março de 2020, 15h30: uma pessoa atacada com gás lacrimogêneo e espancada pelo CRC após a sua entrada no supermercado Carrefour ter sido negada.

• 27 de março de 2020, 14h00: duas pessoas caminhando perto do Stade de L’Epopée para obter comida no ponto de distribuição foram espancadas pelo CRS. Como resultado disso, uma delas tem um braço quebrado.

• 27 de março de 2020: duas pessoas caminhando perto do parque BMX para chegar ao ponto de distribuição de comida foram espancadas e atacadas com gás lacrimogêneo pelo CRS.

• 28 de março de 2020, 09h00: uma pessoa caminhando pela Rue Mollien foi atirada ao chão e espancada pelo CRS.

• 28 de março de 2020, 15h00: duas pessoas caminhando perto do parque BMX para chegar ao ponto de distribuição de comida foram espancadas e atacadas com gás lacrimogêneo pelo CRS.

• 28 de março de 2020, 15h30: uma pessoa caminhando sozinha ao longo do Quai Lucien l’Heureux, voltando para o seu acampamento, foi espancada e atingida na parte de trás da cabeça com um bastão telescópico pelo CRS.

• 28 de março de 2020: quatro pessoas andando perto do parque BMX foram espancadas com um bastão telescópico pelo CRS.

• 31 de março de 2020, 12h50: duas pessoas retiradas de um caminhão foram espancadas pelo CRS na Rue des Sablières. Uma pessoa ficou se queixando da dor forte no braço, uma pessoa ficou quase inconsciente e teve de ser trazida para o hospital por uma ambulância.

A comunidade de refugiados da Eritreia de Calais

Fonte: https://calaismigrantsolidarity.wordpress.com/2020/04/14/police-violence-an-open-letter/

Tradução > Ananás

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2016/11/05/suica-berna-manifestacao-solidaria-com-os-migrantes-evacuados-da-selva-em-calais/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2016/11/03/franca-refugiados-que-deixaram-calais-fazem-acampamentos-em-ruas-de-paris/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2014/09/04/franca-de-5-a-7-de-setembro-semana-da-resistencia-antifascista-em-calais/

agência de notícias anarquistas-ana

Apenas um pássaro
Companheiro do caminho
Pelo campo seco.

Senna

Leave a Reply