[França] Adeus ao camarada Skirda, o anarquista que lutou contra as mentiras dos historiadores

Recebemos a triste notícia da morte, em 23 de dezembro passado, do ativista e historiador libertário Alexandre Skirda, autor de um bom número de textos essenciais sobre a influência anarquista na Revolução Russa.

Recebemos a triste notícia da morte em 23 de dezembro do ativista e historiador libertário Alexandre Skirda, autor de uma série de textos essenciais sobre a influência anarquista na Revolução Russa. Ele era filho de um ucraniano que viveu a guerra civil e de uma russa, e nasceu na França em 1942. Seu trabalho, originalmente escrito em francês, foi traduzido para vários idiomas.

Seu primeiro livro, de 1971, é dedicado à revolta de Kronstadt e foi reimpresso em 2012 e 2017, incorporando novos dados após o acesso aos arquivos da ex-URSS. A copiosa coleção de fontes neste trabalho faz dele um documento de leitura obrigatória para compreender o confronto entre as concepções libertárias e autoritárias durante a Revolução Russa.

Com raízes ucranianas e um bom conhecimento de todas as línguas das fontes primárias da Revolução Majnovista, Alexandre Skirda estudou-a extensivamente e em 1982 publicou: Nestor Makhno, le cosaque de l’Anarchie, la lutte pour les soviets libres en Ukraine 1917-1921. Este livro logo se tornou uma referência indispensável, e suas sucessivas reedições, enriquecidas com nova documentação, têm servido para aquilatar aquele episódio memorável da luta por uma sociedade sem exploração.

Autor de outros livros sobre a história do anarquismo e traduções de Néstor Majnó e Jan Wacław Majaiski, Alexandre Skirda sempre trabalhou para desvendar eventos de enorme transcendência, cuja realidade fresca e esclarecedora se esconde por trás da falsidade e da manipulação que dominam a historiografia do século XX. Graças a ele, vemos além dos relatos tendenciosos “vermelhos” e “brancos” de eventos que são essenciais para conhecer.

Que a terra seja leve para aquele que dedicou sua vida a combater mentiras, desfazer injustiças e vindicar, com esforço e rigor, a memória daqueles que deram tudo de si na luta pela liberdade e emancipação humana.

Fonte: https://kaosenlared.net/adios-al-companero-skirda-el-anarquista-que-combatio-las-mentiras-de-los-historiadores/

Tradução > Liberto

agência de notícias anarquistas-ana

Assim como a vela,
Mergulhada no silêncio,
A peônia

Kyoroku

Leave a Reply