Manifesto unificado do 1º de Maio: construir a Greve Geral. Abaixo o governo militar/genocida de Bolsonaro!

O governo de Bolsonaro, Mourão, Paulo Guedes e dos generais a serviço dos capitalistas, latifundiários e banqueiros é o grande responsável pela tragédia que vive o povo pobre e trabalhador brasileiro. O avanço da fome e da situação miséria que já atinge mais da metade da população, o aumento do custo de vida e o maior nível de desemprego da história se somam as milhares de mortes diárias por Covid-19. Com cerca de 400 mil mortes subnotificadas, nossa tragédia real pode ser até 4 vezes maior, com o país se tornando o centro mundial da pandemia.

Em ônibus e metrôs lotados, trabalhos precários e subempregos nosso povo caminha para a morte todos os dias. Entre passar fome ou ser contaminados pela Covid-19, escolhemos lutar pela vida e contra o genocídio. Lutar e vencer os governos e patrões genocidas, para vingar nossos mortos e honrar a memória das milhares de vidas perdidas.

O auxílio emergencial miserável é um escárnio com o trabalhador brasileiro. O aumento nos preços dos alimentos, itens básicos e combustíveis é insuportável. No mesmo país que ganhou 11 novos bilionários durante a pandemia e os ricos furam a fila da vacina, falta oxigênio, medicamentos e vagas nos hospitais para os pobres. A contaminação e as variantes da doença se espalham pelo país. Enquanto isso, as direções das centrais sindicais e dos partidos eleitorais seguem de forma covarde e oportunista se negando a lutar contra o governo militar e genocida de Bolsonaro, interessados apenas nas eleições de 2022.

Para reverter esse quadro e defender nossas vidas é necessário construir desde agora a Greve Geral e organizar a rebelião do povo pobre e trabalhador brasileiro, para: 1) Derrotar nas ruas o governo Bolsonaro/Mourão, os militares e o Congresso Nacional corrupto; 2) Garantir a vacinação imediata de toda a população e medidas sanitárias até a imunização completa contra a Covid-19 no país; 3) Conquistar uma renda básica digna no valor de um salário-mínimo para todos os trabalhadores e famílias pobres, exigir um amplo programa contra a fome, o controle e a fixação dos preços dos alimentos e dos combustíveis, a suspensão das contas de aluguel, energia e água, e; 4) Parar o genocídio do povo negro e pobre nas favelas e periferias, os ataques aos povos indígenas e ao meio ambiente, os despejos e a violência contra os acampamentos e assentamentos camponeses e as ocupações sem-teto.

A Campanha pela Greve Geral é uma articulação nacional que reúne diversas organizações populares, movimentos combativos e coletivos independentes no país, para organizar a ação direta e a mobilização popular permanente com greves, ocupações, barricadas, ocupações, lutas combativas e unidade popular. Nesse 1º de Maio, data histórica de luta de nossa classe e memória dos mártires operários, convocamos os trabalhadores e trabalhadoras da cidade e do campo, a juventude combativa, os desempregados, as organizações indígenas, o povo negro, as associações de favelas e periferias e todos os lutadores e lutadoras do povo para construir a Greve Geral pela base e organizar a rebelião popular em defesa das nossas vidas e contra o genocídio promovido por esse governo fascista e pelos capitalistas.

CAMPANHA NACIONAL PELA GREVE GERAL

Alternativa Popular – PR ∙ Casa da Resistência – FOB-BA ∙ Coletivo Baixada Anarquista – RJ ∙ Coletivo Carranca – FOB-BA ∙ Coletivo José Oiticica – ES ∙ Coletivo Lima Barreto – FOB-RN ∙ Federação das Organizações Sindicalistas Revolucionárias do Brasil (FOB) ∙ Frente Internacionalista dos Sem Teto (FIST) ∙ Kasa Invisível – MG ∙ Movimento Autônomo Popular (MAP) ∙ Núcleo FOB-PI ∙ Núcleo FOB-MS ∙ Núcleo FOB-SP ∙ Rede Autônoma de Luta pela Educação (RALE) ∙ Rede Estudantil Classista e Combativa (RECC-FOB) ∙ Sindicato Independente de Trabalhadores/as (SIT) ∙ Sindicato Geral Autônomo do Ceará – FOB (SIGA-CE) ∙ Sindicato Geral Autônomo do Distrito Federal e Entorno – FOB (SIGA-DFE) ∙ Sindicato Geral Autônomo do Rio de Janeiro – FOB (SIGA-RJ) ∙ Sindicato Geral Autônomo de Santa Catarina – FOB (SIGA-SC) ∙ Tendência Autônoma Feminista (TAF)

lutafob.org

agência de notícias anarquistas-ana

O vento é o tempo:
sopra varre levanta lambe
desfaz o que foi feito.

Thiago de Mello

Leave a Reply