Pirataria no ar, Bandeira Negra FM

 

> Memória. Há 12 anos, a “ANA” divulgava…

Sem papas na língua e muito jogo de cintura para driblar “os censores do ar”, funciona há 4 meses na Zona Leste da cidade de São Paulo a rádio Bandeira Negra FM, pirata e libertária. Para falar sobre ela, o Grupo Anarquista Ação Direta concedeu a seguinte entrevista.

Agência de Notícias Anarquistas > Pra começar, conte como e quando foi a criada rádio…

GAAD < A rádio foi criada em novembro de 2004, ela foi criada após a constatação de nossos camaradas e simpatizantes que uma rádio tem um alcance, sob certos aspectos, muito melhor do que, por exemplo, um jornal. Nosso objetivo primeiro é nos mantermos fiéis aos princípios libertários, os demais são conseqüências.

ANA > Qual o nome da rádio? Vocês se definem como uma rádio livre, pirata?

GAAD < O nome da rádio é Bandeira Negra FM. Somos uma rádio totalmente pirata, não podemos ser uma rádio livre, pois nada é livre em nossa sociedade, além do mais somos perseguidos.

ANA > É um coletivo anarquista que administra a rádio?

GAAD < É isso mesmo, nos sentamos para discutir o que vai ao ar no dia, pois temos de escolher o dia por motivos de segurança, então traçamos um esboço de programação e a noite concluímos, ou seja, transmitimos.

ANA > Tecnicamente como a rádio funciona? Ela atinge que bairros?

GAAD < Na verdade é bem simples, um companheiro nosso (simpatizante) que é técnico de eletrônica, nos trouxe um esquema de um transmissor de FM tirado de uma revista, só que o dito transmissor tinha uns 3 quilômetros de alcance, no entanto ele nos garantiu que poderia fazer uns ajustes para melhorar o alcance, então feito isto o alcance melhorou muito. Foi para mais ou menos 12 quilômetros, atinge partes de muitos bairros devido a localização estratégicas, por exemplo: parte da Penha, boa parte do Itaim Paulista, Ermelino Matarazzo e uma parte menor de São Miguel e Itaquera.

ANA > Que tipo de programas emitem? Cultural, informativo, de denúncias…

GAAD < A principal ênfase da programação é cultural, no entanto a informação e as denúncias também são feitas.

ANA > Vocês costumam emitir quantas horas por dia?

GAAD < Normalmente 2 horas por dia e três dias por semana.

ANA > Atualmente que problemas estão tendo para manter a rádio?

GAAD < Desde o começo o que mais temíamos era não conseguirmos suporte técnico, mas isso foi sanado, porém nossa maior dificuldade é a monitoração causada por denúncias anônimas que sabemos de onde vêm, os criminosos locais do PT, que não suportam nosso trabalho político sério, nem nossa coragem de enfrentá-los, são esses sujeitos que vivem a nos denunciar, mas nossos olheiros nos avisam quando vem chegando o carro rastreador, então desligamos. Por isso não podemos transmitir todos os dias.

ANA > Como sintonizar a emissora? Vocês divulgam a rádio de boca em boca?

GAAD < Bom, para sintonizá-la primeiro precisam estar na capital, na zona leste, pois nosso alcance é curto por enquanto, mais ou menos 12 quilômetros. Nossa divulgação é feita em encontros e conferências que participamos, às vezes, e principalmente boca a boca.

ANA > E qual é a receptividade dos ouvintes, de quem conhece o trabalho de vocês?

GAAD < A receptividade em nossa área não é lá essas coisas, pois aqui é quase tudo dominado pela igreja católica, pelo PT, PC do B, ONG’s, por deus, por satanás e não sabemos por quem mais, no entanto em vilas mais afastadas há um crescente interesse, isto nos alegra muito.

ANA > Quer acrescentar algo pra finalizar?

GAAD < Sim, queremos. Nós, militantes e simpatizantes do Grupo Anarquista Ação Direta, gostaríamos de prestar a nossa homenagem aos irmãos Christian e Adam Marchlewski, ambos falecidos no interior do Paraná quando ajudavam algumas famílias de posseiros, morreram num acidente de carro. Como pode perceber eram descendentes de poloneses, seus pais, Semyon Marchlewski, foi torturado pela polícia de Pilsudski, pelos invasores alemães, pelos soviéticos, pela Armia Krajowa, simplesmente por ser anarquista, por isso fugiu para cá, foi obrigado, morrendo aqui com todas as marcas no corpo e na mente, de que foi vítima de todo e qualquer tipo de governo, seus filhos seguiram o exemplo do pai, por acharem sua luta justa, a luta de todos os desesperados e deserdados da terra. Irmãos Christian e Adam vivem para sempre!

Até a vitória final! Paz entre nós e guerra aos senhores!

agencia de notícias anarquistas-ana

flor de pitanga
caindo da árvore
uma flor ou uma lágrima?

Regina Bostulim

Leave a Reply