Campanha Mundial: “Detenhamos o genocídio e a limpeza étnica em Afrin!”

campanha-mundial-detenhamos-o-genocidio-e-a-limp-1

Dezenas de representantes políticos e intelectuais lançaram uma declaração intitulada “Apoiar a resistência é um imperativo histórico”.

Dezenas de representantes políticos e intelectuais lançaram uma declaração intitulada “Apoiar a resistência é um imperativo histórico”, em referência à luta do povo de Afrin, no norte da Síria, que foi invadido pelo exército turco e seus aliados terroristas.

Ademais, os signatários convocaram a todo o mundo a somar-se ao Dia de Ação Global por Afrin que se realizará neste 24 de março.

Em seguida publicamos a declaração completa:

O assalto criminoso a Afrin constitui uma nova fase na guerra do Estado turco contra o povo curdo. Esta invasão e ataque genocida se tem realizado frente aos olhos da humanidade. Este assalto não seria possível sem a cumplicidade das principais potências. A heroica resistência dos curdos na luta por Kobane desencadeou o colapso do processo de paz e um derramamento da guerra na Síria na região curda da Turquia. Os últimos dois anos são testemunhas das atrocidades aos direitos humanos na região curda da Turquia, com milhares de mortes e centenas de milhares de deslocados.

Agora a guerra contra os curdos se intensifica ainda mais com a invasão criminosa do território sírio. Os crimes de guerra contra o povo curdo em Afrin são crimes contra a humanidade; e a resistência dos curdos é a resistência da humanidade. Longa vida à democracia popular de Rojava e ao modelo confederal democrático!

Fazemos um chamado para a implementação imediata de um cessar-fogo em Afrin e em toda Síria, como o solicitou o Conselho de Segurança da ONU; a retirada imediata do exército turco, cuja presença em Afrin constitui uma violação flagrante do direito internacional; e a participação plena e inclusiva dos curdos sírios e suas organizações no processo de paz liderado pela ONU para uma solução política ao conflito sírio.

Turquia continua o derramamento de sangue de Afrin, contradizendo assim a resolução de cessar-fogo da ONU!

Detenhamos o genocídio e a limpeza étnica do exército turco em Afrin!

Tomemos a primeira ação e manifestação em defesa de Afrin em 24 de março de 2018 em todo o mundo!

Os signatários da campanha são:

Dr Thomas Jeffrey Miley, Lecturer of Political Sociology, Cambridge University, UK; European Afrin Solidarity Platform; Estella Schmid, Campaign Against Criminalising Communities (CAMPACC) UK; David Graeber, Professor of Anthropology, London School of Economics, UK; Stephen Bouquin, Professor in Sociology, Univ. Paris-Saclay; Federico Venturini, Social Ecologist, Italy; Janet Biehl, Autor and Independent Researcher, USA; Joost Jongerden, Wageningen University, Sociology and Anthropology of Development Department, Netherland; Rojava Solidarity-Belgium; Barbara Spinelli, Laywer, Italy; Debbie Bookchin, Journalist, USA; Joe Ryan, Chair of Westminster Justice and Peace Commission, UK; Jonathan Spyer; Julie Ward, Member of the European Parliament, UK; Kariane Westrheim, Professor University of Bergen, Chair of EUTCC, Norway; Dr Les Levidow, Researcher, Writer, UK; Louise Regan, President National Education Union, NUT Section; Margaret Owen OBE, International Human Rights Lawyer, UK; UK; Simon Dubbins, Director of International-UNITE, UK; Noura Raad, European Network of Migrant Women- ENMW (UK); Thomas Schmidt, Secretary General ELDH European Association of Lawyers for Democracy and World, Germany; Tony Simpson, Bertrand Russell Peace Foundation, UK; Dr Vicki Sentas, Faculty of Law, University of New South Wales, Australia; Fabio Marcelli, Lawyer, Italy; Costas Mavrides, Member of the European Parliament; Ana Maria Palacios, FeministAlde, Pays Basque, France; Olivier Stein, Progress Lawyers Network, Belgium; Marie-Christine Vergiat, Member of the European Parliamentm GUE/GNL ; Georges Henri Beauthier, Lawyer, Belgium; Erling Folkvord, Writer and Former MP, Red Party, Norway; Thorvald Steen, Author, Norway; Jan Bojer Vindheim, District Councillor, Green Party, Norway; Dr. M. Naci Akkök, Chief Architect, Liberal Party, Norway; Haci Akman, Professor University of Bergen, Norway; Efraim Bulut, PhD Cardiologist, Haraldsplass Deaconess University College, Norway; Selim Eskiizmirliler, Neuroscientist, University Paris Diderot, France; Anna Jikhareva, Journalistin WOZ – Die Wochenzeitung, Zürich; Carlo Sommaruga: Lawyer, Conseille National; Franco Cavalli doctor, former MP; Balthasar Glättli – National Rat-Swiss; Barbara Schällibaum, Vertreterin der feministischen Frauengruppe St.Gallen; Marcel Bosonnet, Lawyer-Swiss; Illias Panchard, Conseil Municipal Vert/ Lausanne…

Fonte: https://anfenglish.com/news/24-march-global-action-day-for-afrin-25583

Tradução > Sol de Abril

Conteúdo relacionado:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2018/03/19/24-de-marco-dia-mundial-por-afrin/

agência de notícias anarquistas-ana

Noites sem cigarras –
qualquer coisa aconteceu
ao universo.

Serban Codrin

One response to “Campanha Mundial: “Detenhamos o genocídio e a limpeza étnica em Afrin!””

  1. Alexandre Sousa

    Assim foi em Constantinopla,Viena e Otlanto onde os turcos cortaram as cabeças de 800 catolico. Exigem a rendição e atacam como lobos. As derrotas que os turco tiveram até hoje foi pouco. Temos que reduzi-los á Anatolia geografica e mostrar que roubos de terra e limpeza etnica são inaceitaveis. Terras gregas, Armenias e curdas que não fazem parte da Anatolia geografica devem ser tomadas de volta.

Leave a Reply