NOS – Comunicado 1

nos-comunicado-1-1

A todxs

O mundo capitalista está em crise. E o Brasil também, no pior momento de sua História. Crise econômica, política, moral, desemprego, violência, corrupção, destruição da natureza, desesperança.

A última tentativa de resistir foi a greve dos caminhoneiros, que apesar de ter caráter reacionário, derrotou o governo brasileiro e podia virar a greve geral defendida por sindicatos e centrais sindicais. Mas nada aconteceu! Não teve nem greve dxs petroleirxs, ameaçadxs por terceirização, demissões e privatização. Nem precisava piquete, centenas de caminhoneiros nas portas das refinarias da estatal Petrobras eram o piquete. E aí? Deixaram a greve dos caminhoneiros acabar para fazer uma grevinha fraca logo encerrada pela proibição autoritária e imoral de uma juíza qualquer. E o povo? Em vez de parar, ficaram horas em filas de postos pagando combustível mais caro!

E o pior é as burocracias sindicais acovardadas “justificar” sua covardia alegando seguir um “calendário”. Só se for o calendário de Temer. Pois o que não falta é traidorxs do povo que falam “fora Temer” da boca pra fora. Eles querem “fica Temer”, pois ele não tem futuro, e por não ter nada a perder é o único que pode fazer a nojenta “reforma” da Previdência, assim como fez a criminosa “reforma” trabalhista que destrói empregos. Bom só para as grandes empresas que pagam salários miseráveis, e banqueiros, que querem obrigar o povo a ter previdência privada. Para esses patifes, danem-se dezenas de milhões de pobres que não podem pagar previdência privada, que trabalhem até morrer.

Xs militantes honestxs sindicais, sociais e de partidos e movimentos sociais e populares são enganadxs pelas burocracias traidoras que não querem mudanças. Assim como a maioria do povo, são levadxs a crer que a farsa das eleições é a solução. Mentira! Pois os dois primeiros colocados nas pesquisas estão sendo postos fora da eleição: um foi preso por um juiz a serviço de um partido político (protege seus comparsas de partido enquanto condena adversários), sem provas (não é prova o apartamento de praia que mais parece um chiqueiro) e é mantido preso por decisão política e contra a Constituição (uma das ministras do STF, suprema corte do Estado Burguês, disse que votava contra o habeas corpus mesmo sendo inconstitucional, após pressão do comandante do exército, uma vergonha) só para não concorrer. O outro candidato (criado pela direita e hoje rejeitado por ela pois virou uma ameaça em potencial) é um fascista acusado de homofobia, machismo e outros crimes, e sofre processo para ter mandato e candidatura cassados. Golpe contra a vontade da maioria dxs eleitorxs, que o sistema diz obedecer! As corporações e seus lacaios da mídia empresarial e do podre judiciário não querem que povo eleja presidentx, querem impor um gerente de seus negócios que lhes seja totalmente confiável.

E o pior é que ninguém faz nada para mudar isso.

Até agora.

Não somos políticxs, não somos ligadxs a partidos, não acreditamos em eleições, não obedecemos leis, não seguimos calendários: somos anarquistas, agimos pelo que é certo e só obedecemos ao tribunal de nossa consciência. Fazemos “ação direta”, atacando o sistema via seus pilares de sustentação em guerra de baixa escala.

E já começamos a agir. Para nossa estreia, escolhemos o bairro burguês de Perdizes, zona oeste da cidade de São Paulo em 08.04.2018, horas após a prisão do ex-presidente Lula. Na madrugada, acordamos xs burguesxs de um quarteirão de Perdizes de seu sono tranquilo com artefato explosivo sonoro e nos retiramos pelas sombras sem sermos vistos por câmeras de segurança ou testemunhas.

Não somos seguidorxs de Lula nem cremos em eleição, mas vemos sua prisão como precedente para perseguir todxs que enfrentam o sistema, inclusive nós. E a podre burguesia desse bairro bateu panela e tocou vuvuzela tanto para entregar o Brasil nas mãos da quadrilha de Temer quanto para comemorar a prisão de Lula. Por isso receberam nossa incômoda visita.

Mais ataques virão. Sem-terra, sem-teto, sindicalistas e militantes de esquerda honestxs, anarquistas, antifas, nihilistas, eco-extremistas… chamamos todxs a esquecer diferenças, organizar-se e lutar contra o sistema! A HORA É AGORA!

FOGO AO ESTADO, ÀS CORPORAÇÕES E SEUS LACAIOS!

NOS – Núcleo de Oposição ao Sistema

agência de notícias anarquistas-ana

Nos olhos da libélula
refletem se
montanhas distantes.

Issa

One response to “NOS – Comunicado 1”

  1. Araticum

    Anarquistas envolvidos nisso é! Rss, humm. Será?

Leave a Reply