Editora joinvilense estréia trabalho com republicação da peça teatral A Greve dos Inquilinos

por Fernanda Eliza – Especial para Ambiente Arejado Publicações

Lançamento aconteceu em Joinville e Curitiba, no última dia 2 de setembro. Alunos de teatro fizeram uma leitura dramática da peça

Desde agosto o livro A Greve dos Inquilinos está sendo lançado pela nova editora joinvilense Ambiente Arejado Publicações (AAP), em parceria com a editora Entremares, de São Paulo. Para marcar o primeiro lançamento da marca, três eventos foram marcados, o primeiro em 14 de agosto em Joinville, Santa Catarina, e 16 do mesmo mês em Curitiba, Paraná. Além disso, no dia 2 de setembro aconteceu a leitura dramática do texto, realizada pelos alunos do curso de teatro da Associação de Moradores e Amigos do Bairro Itinga (Amorabi), também em Joinville.

A proposta da editora que foi lançada neste ano é publicar ou relançar livros com conteúdo libertário, ou seja, que falem da libertação do povo oprimido e, também, com a temática do teatro. Por isso, o título A Greve dos Inquilinos, do autor Neno Vascos, foi escolhido para a estréia da AAP. O idealizador do projeto, Maikon Jean Duarte, conta que o tema foi escolhido por conta de um apagamento da história do teatro brasileiro em relação aos escritores que apresentam a classe operária urbana e rural. O texto de Neno Vasco é um deles, que demonstra preocupação e traz questões políticas e problemas sociais na peça, diz Maikon, que lembra ainda que o autor também trabalha o humor.

Os lançamentos aconteceram em locais diferentes, como café, sindicatos e associações de moradores. No dia 14, por exemplo, o café vegano Jurema Veg sediou o evento. A escolha aconteceu por conta de ser um espaço dirigido por mulheres. Em Curitiba, Maikon conta que a escolha do espaço foi uma indicação dos companheiros de militância do Coletivo Anarquista Luta de Classe, ou seja, no AAP NORTE, sindicato de professores, um local que cumpre essa mesma perspectiva.

O lançamento no bairro periférico da zona Sul de Joinville, no dia 2 de setembro, ficou agendado em um espaço que faz luta popular por meio da cultura e educação, a Amorabi.  Neste dia, a chuva não parava de cair do céu joinvilense e, durante o evento, houve um princípio de rebelião no Presídio Regional, também na área Sul da cidade. Nada disso impediu que os alunos do curso de teatro infanto juvenil fizessem uma leitura dramática do texto. Durante o debate, uma pessoa na platéia perguntou para as crianças com qual personagem se identificaram, o inquilino ou o proprietário. E eles respondem, todos, “os inquilinos.”

Ambiente Arejado Publicações é conduzida por Maikon, também professor, junto de outros parceiros por meio de uma comissão editorial que acontece a passos lentos. Maikon conta que, como todos tem seus espaços de trabalho formal, vida pessoal e militância, as tarefas realizadas na editora são solidárias e de forma cooperativada.

No momento, a editora começou um projeto de tradução da coleção de poemas de Voltairine de Cleyre, poeta e anarquista estadunidense. “Também estamos em processo adiantado da coleção ‘Literatura de Zarcão’, livros para ler no ônibus, que será feito com autoras e autores de Joinville, composta por literatura rebelde e formato barato para atingir ao máximo de pessoas da cidade”, diz Maikon.

O livro A Greve dos Inquilinos está sendo vendido pela Livraria 36, no Salvador Vegan Café pela Livraria Barba Ruiva e pode ser lido enquanto se toma um café na Jurema Veg. A Ambiente Arejado Publicações pode ser acompanhada pelo Facebook e Instagram.

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2018/08/29/joinville-sc-lancamento-e-leitura-dramatica-do-livro-greve-de-inquilinos/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2018/08/01/joinville-sc-lancamento-do-livro-greve-de-inquilinos-de-neno-vasco/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2018/03/31/lancamentos-greve-de-inquilinos-de-neno-vasco-e-no-circo-de-avelino-foscolo/

agência de notícias anarquistas-ana

a chuva cai forte
e os ruídos que sobem
corroem meus olvidos

Thiago de Melo Barbosa

Leave a Reply