[Grécia] Manifestantes cancelam leilão de áreas florestais em Karditsa: “Montanhas livres sem turbinas eólicas!”

Ao meio dia de quinta-feira, 22 de agosto, uma reunião do Comitê de Finanças Municipais foi marcada na Prefeitura de Karditsa para ratificar o leilão de áreas florestais para a construção de uma linha de alta voltagem para turbinas eólicas. O leilão em questão havia sido realizado pelo prefeito Alexakos em 5 de agosto e cuja a única empresa candidata, a Punentis SA, saiu vencedora.

Ao mesmo tempo, uma multidão de pessoas, organizações e associações da cidade e o Acampamento Autogerido “Montanhas Livres Sem Turbinas Eólicas” convocaram uma concentração do lado de fora da Prefeitura. Os manifestantes tentaram participar do processo público aberto no terceiro andar do prédio da Prefeitura, mas foram repelidos por produtos químicos das forças de segurança do Estado.

No entanto, os manifestantes permaneceram no lugar, bloqueando a entrada da Prefeitura. Alguns burocratas, engravatados e membros do Comitê de Finanças não puderam entrar no prédio, resultando em nenhum quórum, assim a reunião foi cancelada. Depois de serem informados da notícia do cancelamento do leilão, os manifestantes com um sorriso nos lábios saíram em passeata pelo centro de Karditsa, terminando ato no Parque Pausilipou.

Continuaremos a luta pela defesa das últimas áreas virgens do país. Para salvar a vida selvagem. Contra a privatização das montanhas, dos rios e das florestas. Montanhas livres sem turbinas eólicas!

Acampamento Autogerido “Montanhas Livres Sem Turbinas Eólicas”

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2017/07/28/grecia-berea-chamado-anarquista-contra-a-investida-do-capitalismo-verde/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2017/07/26/grecia-luta-contra-a-destruicao-ecologica-de-samotracia/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2014/06/16/grecia-berea-concerto-contra-a-instalacao-de-sete-parques-eolicos-no-monte-vermio/

agência de notícias anarquistas-ana

Partitura alegre:
cai a chuva sobre o charco
no ritmo dos sapos.

Anibal Beça

Leave a Reply