[Chile] Solidariedade não é apenas uma palavra escrita!

Difundimos comunicado da iniciativa pela liberdade dxs prexs politicxs da revolta de Santiago. Solidariedade não é apenas uma palavra escrita!

DECLARAÇÃO PÚBLICA DO COMITÊ PELA LIBERDADE DXS PRESXS POLITICXS 18 DE OUTUBRO.

Há um mês e meio, o Chile vem sendo estremecido por massivas mobilizações contra a desigualdade social, a privatização, a corrupção e o roubo. Milhões questionaram nas ruas o modelo econômico e a constituição imposta desde a ditadura de Pinochet.

Contra esse massivo clamor popular o governo impõe uma repressão violenta e sistemática: dezenas de assassinados e assassinadas, centenas de mutiladxs que perderam um ou dois olhos por causa dos tiros disparados pela polícia, milhares de feridxs, prisões ilegais, tortura contra detentxs, abuso sexual, estupros e uma repressão diária e feroz contra um povo que não recua.

A política repressiva de Piñera vem tentando criminalizar as mobilizações e prendendo diversos manifestantes, reforçando assim o papel da prisão como uma ferramenta perversa de controle que busca punir a pobreza, a rebeldia e a luta social.

Segundo os dados da Procuradoria Nacional do Chile entregues em 30 de novembro, o número de pessoas que passaram por audiência de controle e detenção é de 30.102, destxs, 22.217 tiveram sua acusação formalizada e 1957 estão em prisão preventiva. A cada dia de luta aumentam os números de pessoas processadxs e presxs.

Como parentes e amigxs dxs presos políticxs da explosão social de 18 de outubro, juntamente com diferentes organizações, coletivos e individualidades que estão engajadas nessa luta, convidamos a todxs a criar um amplo comitê que tenha como pauta a soltura imediata dxs presxs politicxs.

Denunciamos que estxs presxs são a outra face da violação dos direitos humanos do povo chileno. Eles são, portanto, presxs políticxs, encarceradxs pelas forças repressivas do Estado do Chile.

Exigimos sua libertação imediata e o reconhecimento nacional e internacional de sua condição de presxs políticxs; a revisão do regime prisional diante da situação politica, a reparação imediata a todas as famílias afetadas e o julgamento e punição dos policiais e militares que violaram os direitos humanos.

Rejeitamos a aprovação arbitrária do pacote de leis repressivas feita pelo governo de Piñera e somamos às nossas demandas a extinção do decreto de lei 321 que endurece os requisitos para ter acesso a liberdade condicional. Conclamamos aos dirigentes sociais, estudantes, sindicalistas, políticos, feministas, ambientalistas e a todos e todas a apoiar esta declaração, rumo a uma campanha mundial de apoio a todxs presxs políticxs no Chile e que rejeite veementemente a violação sistemática dos direitos humanos e a repressão imposta pelo governo.

LIBERDADE IMEDIATA A TODXS PRESXS POLITICXS!!!

Comitê pela liberdade dxs presxs politicxs 18 de Outubro.

Tradução > Mauricio Knup

agência de notícias anarquistas-ana

É muito silêncio
enquanto as flores não crescem
e os poetas dormem.

Eolo Yberê Libera

Leave a Reply