[Chile] Frente à crise do coronavírus | Nossas vidas antes que seus lucros

A crise sanitária atual produto da propagação do coronavírus demonstrou  novamente que estamos frente a um Estado homicida que revelou sua verdadeira face: ser a ditadura da classe capitalista sobre o resto da humanidade. Nem este governo, nem nenhum outro que se eleve ao poder do Estado, velará jamais pelo bem estar comum das pessoas, muito menos pela saúde do proletariado. O governo do Chile já tornou pública sua decisão: não tomou e não tomará as medidas realmente necessárias de contenção para resguardar o bem estar da população em geral, posto que tais medidas implicariam uma ameaça para que a classe capitalista siga acumulando lucros. Sua “negligência” e “inoperância” não é casual: optou conscientemente por sacrificar uma fração da população, a mais vulnerável e exposta à mortalidade pelo vírus, os adultos idosos pobres.

Ante esta situação extrema fazemos um chamado para ficarmos em nossos lares e nos negarmos a trabalhar, realizando de fato uma greve geral em todos os lugares que não sejam imprescindíveis para satisfazer as necessidades básicas da classe trabalhadora, golpeando os capitalistas onde mais lhes dói.

Em meio a um clima de antagonismo social que açoita nossa região desde 18 de outubro, não nos exporemos a sair às ruas para nos infectarmos com o vírus, não para dar o gosto ao Estado e aos interesses do capital, mas porque responsavelmente colocamos a integridade e a saúde de nossa classe frente a real ameaça desta pandemia.

Em meio a este panorama agitamos as seguintes reivindicações imediatas de caráter mínimo: parada total do trabalho produtivo nas empresas que não sejam vitais para a população, nenhuma demissão por causa da emergência, manutenção da totalidade do salário a todos os trabalhadores assalariados enquanto dure a ameaça sanitária, salário básico garantido para todas as pessoas desempregadas ou que trabalhem informalmente – cerca de 30% da classe trabalhadora – que satisfaça suas necessidades e as de suas famílias, saúde gratuita em todo recinto hospitalar público ou privado, suspensão imediata de todo pagamento de aluguel e contas básicas – luz, água, etc.- enquanto permaneça vigente a quarentena, disposição imediata e gratuita de todos os estoques de medicamentos e elementos básicos que possuam as farmácias para conter o Covid-19, assim como também os fármacos essenciais para as pessoas que dependem deles para não morrer.

Já estamos fartos da ansiedade e do terror que nos impõem pela força a lógica desumana do sistema capitalista. Não seremos carne de canhão em seus recintos de exploração.

Ninguém vai trabalhar: greve geral!
O vírus mais perigoso é o capitalismo!

Omnia Sunt Communia

Tradução > Sol de Abril

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2020/03/18/italia-entrar-em-greve-para-nao-morrer/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2020/03/18/espanha-mundo-covid-19-as-epidemias-na-era-do-capitalismo/

agência de notícias anarquistas-ana

cultivando ao silêncio
plantei aos prantos
meu próprios gritos.

Kola

Leave a Reply