[Alemanha] Mais uma vez!

Demonstração do Dia X para Køpi Wagenburg

Mais uma vez nos últimos meses recebemos outro golpe em nossos espaços liberados na cidade: o anunciado título de despejo do Køpi Wagenburg¹.

E mais uma vez assistimos à encenação entre os políticos usuais e empreiteiros inescrupulosos de Berlim, que com os seus processos burgueses não querem que Køpi Wagenburg continue a existir.

A área mais ampla de Køpi tem sido, por décadas, um dos símbolos práticos mais famosos para DIY [faça você mesmo], contra-cultura e auto-organização, não apenas em Berlim, mas também muito além dela. Durante essas décadas, Køpi já recebeu centenas de pessoas que buscam espaços e modos de vida alternativos, coletivos e não comerciais. Køpi é um ponto central da contracultura antagônica da cidade, e tem sediado ao longo dos anos vários eventos – culturais, políticos e próximos – que uniram o movimento radical. A reputação do Køpi vai muito além da cidade, com muitos laços com pessoas de todo o mundo, que estão ligadas ao projeto.

Køpi esteve sob ameaça por longos períodos e inúmeras vezes, mas sempre, junto com os solidários, conseguiu deixar claro para investidores, políticos e mídia uma coisa: Køpi bleibt Risikokapital! Desta vez, o ataque contra o Køpi se materializa com a ameaça de despejar o Køpi Wagenburg. Desde o dia 10 de junho a decisão do tribunal permite que os proprietários despejem a área, joguem dezenas de pessoas nas ruas, destruam sua infraestrutura, suas casas e seu modo de vida coletivo e auto-organizado.

Os partidos políticos, as empresas imobiliárias, as empresas de construção, os tribunais… todos esses órgãos e instituições públicas e privadas se dedicam a um objetivo: ganhar o máximo de dinheiro e poder possível e distribuí-lo apenas entre eles.

Os interesses políticos e econômicos nesta cidade estão agora evidentemente ligados – se não sobrepostos – e Berlim tornou-se agora o terreno para um projeto maior e imparável, que vai além dos únicos despejos dos últimos meses: o desenvolvimento de uma cidade inteligente, totalmente nas mãos da gentrificação, destinadas a start-ups do setor terciário, que encontraram uma nova capital europeia para explorar.

Entendemos este processo de gentrificação como mais um megaprojeto, perfeitamente alinhado com o desenvolvimento extrativista da sociedade capitalista contemporânea, que extrai todos os recursos do território, um processo que envolve grandes interesses privados, nacionais e estrangeiros, do Estado e das finanças em suas diversas articulações para apropriar os recursos dos territórios contra os interesses das comunidades locais e do meio ambiente de que dependem, distorcendo a forma como a sociedade se auto-organiza. O capital hoje extrai e explora recursos naturais, trabalho, dados e culturas; reorganiza a logística das relações entre pessoas, propriedades e bens; explora, por meio das finanças, todas as esferas da vida econômica e social.

E mais uma vez colocaremos nossos corpos nas ruas lutando de todas as formas para detê-lo.

Num futuro próximo, infelizmente, assistiremos a mais um Dia X, numa série que ao longo do ano passado nos viu sair às ruas, ocupar as ruas, construir barricadas e defender os nossos espaços libertados.

E por Køpi Wagenburg faremos isso mais uma vez.

Não vamos ficar parados, não vamos deixar o Poder fechar outro espaço autogerido sem fazer nossas vozes serem ouvidas e nossas ações vistas.

Por isso, pedimos mais uma vez para irem às ruas conosco. Pedimos a todos os camaradas, a todos aqueles que em mais de 30 anos de história estiveram em Køpi, todos aqueles que querem dizer basta sobre este processo especulativo, todos aqueles que simplesmente querem expressar sua raiva naquele dia.

Pedimos que toda a cidade pare de ficar parada, saia de suas casas onde estivemos trancados por meses e comecemos a mudar as coisas.

Sabemos que não somos os únicos que queremos fazer-nos ouvir, sabemos que muita gente está farta de pagar rendas exorbitantes, vendo o custo de vida aumentar, sentindo-se cada vez mais presos a uma política que leva cada vez mais de nós.

Sabemos que a história desta cidade sempre teve um rosto rebelde que luta para respirar e se expressar.

Por isso, convidamos a todos para começar a lutar.

Mais uma vez.

[1] Wagenburg (fortaleza de vagões) é uma formação defensiva usada desde os tempos antigos por nômades e povos errantes com parques de vagões / trailers. Os vagões estão dispostos em forma circular ou quadrada, tendo a mesma função que as paredes de fortalezas ou castelos, para que a população do parque de vagões possa se defender das ameaças externas.

Fonte: https://de.indymedia.org/node/151499

Tradução > Da Vinci

Conteúdo relacionado:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2021/08/31/alemanha-berlim-defenda-kopi-wagenplatz/

agência de notícias anarquistas-ana

Reclusão de inverno —
As montanhas de Yoshino
No fundo do coração.

Buson

Leave a Reply