Falece Ana Vega Álvarez, uma “libertária convicta” que se exilou na França e no Canadá

> A anarquista jerezana, irmã dos anarcossindicalistas Miguel e Cristóbal, morre aos 101 anos de idade.

A anarquista Ana Vega Álvarez falece [em 8 de outubro de 2017] no Canadá aos 101 anos de idade. A jerezana, que militou no sindicato de emancipação feminina da CNT de Jerez, é irmã de Miguel e Cristóbal, e provem de uma família muito comprometida com o anarcossindicalismo. Desde o próprio sindicato contam que Ana era uma libertária convicta, que se casou no civil contra a vontade de seus pais, e inclusive de outros anarquistas daquela época “que não eram tão livres quando se tratava da própria família”, como afirma sua sobrinha Mari Carmen.

Ana vivia em Calgary, na província canadense de Alberta, mas para chegar até aí antes passou por todo tipo de calamidades. Tinha que trabalhar tanto para ajudar a família que não pôde dedicar muito tempo a ser ativa politicamente, aparte de assistir a comícios e reuniões de vez em quando. A anarquista, que se divorciou e voltou a casar-se, teve que fugir do país com seu segundo marido e o filho comum de ambos quando estava grávida de mais de oito meses, em pleno inverno, atravessando a pé os Pirineus. Depois de chegar a Paris, onde viviam na rua, entrou em trabalho de parto, mas alguém se apiedou dela e a levou ao hospital.

Depois sobreviveram com ajuda de outros refugiados em melhores condições que eles e porque algum familiar lhes emprestou 1.000 pesetas, que naquela época era uma fortuna. Em 1949, seu marido havia escapado do cárcere e sabia que estava condenado a morte, após o que tratou de buscar uma falsa identidade mas foi impossível, por isso tiveram que emigrar ao Canadá, onde foram muito bem acolhidos. Ana era alfaiate e em seguida encontrou trabalho e seu marido começou a trabalhar na ferrovia, e aí esteve até a sua aposentadoria.

Ana estava muito unida a seu irmão Miguel. Ele lhe escrevia cartas desde o cárcere, e ela foi um suporte importante para ele. Quando Miguel fugiu da prisão de San Lorenzo escreveu uma carta a sua irmã Anita dizendo-lhe que mudava de “endereço de empresa”. Ana também participou em uma tentativa de reconstituição das Juventudes Libertárias em Jerez — na clandestinidade —, em março de 1941.

Fonte: https://www.lavozdelsur.es/fallece-ana-vega-alvarez-uma-libertária-convencida-que-se-exilio-en-francia-e-canada

Tradução > Sol de Abril

agência de notícias anarquistas-ana

Manhã inspira
balaio de ideias.
Só fruta verde.

Masatoshi Shiraishi

Leave a Reply