[França] Lançamento: Resistir à militarização. O Grupo de ação e de resistência à militarização. Lyon 1967-1984.

Criado em 1967 por alguns militantes experimentados – as convicções desses homens e mulheres eram, de maneira preponderante, pacifistas, não violentas, cristãs ou socialistas – o GARM (Grupo de ação e resistência à militarização) se enriqueceu com o espírito libertário do Maio de 68 e da contribuição de numerosos jovens. Ele mobilizou centenas de membros e milhares de simpatizantes. Suas ações na região lyonesa, sempre espetaculares e cheias de humor, provocaram um impacto nacional. Como suas análises, eles foram em grande medida o motor de novas práticas e reflexões críticas a propósito do exército e da militarização. Embora a maioria das organizações com as mesmas motivações propusessem objetivos e métodos específicos (o pacifismo, a oposição às armas nucleares, os direitos dos soldados, a objeção, a insubmissão, a defesa não violenta, o exército popular, o anti-imperialismo…) o GARM sistematicamente abordou todos os aspectos da política de Defesa e praticou e apoiou numerosas formas de oposição a esta última na França e no estrangeiro, até a metade dos anos 80.

Résister à la militarisation. Le Groupe d’action et de résistance à la militarisation Lyon 1967-1984.

Maurice Balmet, Patrice Bouveret, Guy Dechesne, Jean-Michel Lacroûte, François Ménétrier, Mimmo Pucciarelli

324 páginas

18,00 EUR

atelierdecreationlibertaire.com

agência de notícias anarquistas-ana

O rio de verão —
Que alegria atravessá-lo
De sandálias à mão.

Buson

Leave a Reply