[Espanha] Lançamento: “Convocação para o socialismo | Por uma filosofia libertária contra o Estado e o progresso tecnológico”, de Gustav Landauer

“O socialista libertário Gustav Landauer é um personagem singular no que diz respeito ao pensamento revolucionário moderno: Poucos expressam como ele, com toda sua força subversiva, a dimensão romântica da revolução. No romantismo revolucionário, ao qual pertencem desde Jean-Jacques Rousseau e William Blake a William Morris e Gustav Landauer, a nostalgia das épocas pré-capitalistas está cheia de uma esperança utópica em uma sociedade livre e igualitária.

Em Convocação para o socialismo a filosofia do progresso compartilhada por liberais e marxistas é atacada diretamente. Landauer não tem nada de reacionário; não sonhava, como outros românticos conservadores, com a restauração do cristianismo medieval. Era um anarquista convicto, e apelava à herança de La Boétie, Proudhon, Kroptokin, Bakunin e Tolstói para opor ao Estado centralizado à regeneratio da sociedade mediante a criação de uma nova rede de estruturas autônomas, inspiradas nas comunidades pré-capitalistas. Não se tratava de voltar ao passado medieval, mas de dar uma nova forma ao velho e de criar uma cultura com os meios da civilização” (Do prólogo de Michael Löwy).

Landauer escreveu em 1911 Convocação para o socialismo, no qual exortava a abandonar as ideias de uma revolução embasada na centralização econômica e no produtivismo, advertindo às nefastas consequências que teria para as ideias de emancipação social. Em janeiro de 1919, meses antes de sua morte, Landauer escrevia um último prólogo para seu [livro] Convocação, que começava com estas palavras: “A revolução chegou, como não a havia previsto… A guerra chegou, que sim, havia previsto”. Em 2 de maio desse mesmo ano, Landauer foi assassinado por um grupo de soldados, graças à sua participação na República dos Conselheiros de Baviera.

Gustav Landauer(1870-1919) foi um teórico anarquista, escritor, tradutor e filósofo. Redator do periódico Der Sozialist, e pertencia ao ramo dissidente da Segunda Internacional, junto a Rosa Luxemburgo, foi muito crítico do Marxismo centralizador e produtivista, e é reconhecido como pensador clássico do movimento libertário. Além de Convocação para o Socialismo (1911), seu outro grande livro é A Revolução (1907).

Llamamiento al socialismo

Por una filosofía libertaria contra el Estado y el progreso tecnológico

Gustav Landauer

Prólogo de Michael Löwy

Coleção Herejías, 5

Tradução de D. Abade de Santillán

Revisão da tradução de Jesús García Rodríguez

214 páginas

14x20cm

P.V.P.: 16€

ISBN: 978-84-947647-8-3

edicioneselsalmon.com

>> Faça download do prólogo de Michael Löwy:

https://edicioneselsalmon.files.wordpress.com/2019/04/primeras-pc3a1ginas-llamamiento-al-socialismo.pdf

Tradução > Daitoshi

agência de notícias anarquistas-ana

para medir o calor
do dia, olhe o comprimento
do gato que dorme

James W. Hackett

Leave a Reply