[Argentina] Um artista está a sete dias detido por fazer uma escultura em homenagem a Santiago Maldonado

Moradores da zona sul do Conurbano bonaerense denunciaram que o artista plástico Julio César Baez, integrante da Frente de Artistas do Borda e conhecido colaborador das agrupações de Direitos Humanos, foi detido arbitrariamente no domingo passado quando realizava uma escultura de rua em homenagem a Santiago Maldonado, às vésperas do segundo aniversário do desaparecimento do jovem, quando participava de um protesto pela causa Mapuche.

Apesar de que o fato ocorreu faz já uma semana, só foi divulgado através das redes sociais, onde os amigos do escultor informaram sobre a situação e organizaram ontem (27/07) uma marcha pedindo sua liberdade.

As testemunhas asseguram que quando Baez realizava a escultura apareceu um morador, irmão de um policial da zona, e começou a repreendê-lo. Após uma discussão, apareceu um patrulheiro da Polícia Bonaerense pertencente à 3ª delegacia de Temperley e um grupo de efetivos o obrigou a deixar de construir a escultura, chegando inclusive a surrá-lo.

O relato das testemunhas não termina aí: Baez se refugiou em sua casa, até onde chegou a Polícia “dando tiros para o alto” antes de detê-lo por “resistência à autoridade” e “ameaças”. O escultor tem uma advogada defensora oficial e se encontra incomunicável já que, ao não ter familiares diretos, ninguém pode ingressar para vê-lo na delegacia.

Só um primo lhe levou roupa, comida e remédios que toma habitualmente para asma, mas não pôde ver como se encontra de saúde nem falar com Baez.

Fonte: Tiempo Argentino

Tradução > Sol de Abril

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2019/07/29/argentina-hoje-santiago-maldonado-completaria-30-anos/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2019/07/29/argentina-nao-queremos-fazer-uma-homenagem-mas-uma-jornada-de-luta/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2019/07/18/internacional-agosto-mes-de-agitacao-em-memoria-de-santiago-maldonado/

agência de notícias anarquistas-ana

Vamo-nos, vejamos
a neve caindo
de fadiga.

Matsuo Bashô

Leave a Reply