Vaquinha virtual internacional para apoiar o Food Not Bombs Myanmar em resposta à COVID-19

Por Nicola S Edwards

Em Mianmar (Birmânia), as pessoas têm uma vida mais difícil do que antes por causa do COVID-19, com a fome como a principal preocupação das muitas pessoas pobres e dos trabalhadores de Mianmar, que não puderam trabalhar devido a restrições do COVID-19. Muitas pessoas estão extremamente preocupadas e estão enfrentando situações muito difíceis. Para acrescentar, há guerras civis em andamento nos estados de Rakhine, Chin e Kachin, rotulada como a guerra civil mais longa do mundo. Muitas pessoas inocentes estão morrendo por causa dessas guerras, mesmo durante o período do COVID-19. Tudo acima é o porquê estamos fazendo mais ações de Food Not Bombs durante esses dias. Estamos trabalhando com o movimento anti-guerra e apoiando as pessoas deslocadas internamente nessas áreas, além de apoiar um grupo jovem iniciante do Food Not Bombs na capital do estado de Rakhine, Sittwe, que procura prestar apoio em sua área e contribuir para consertar as relações entre diferentes grupos étnicos. Finalmente, muitas fábricas foram fechadas devido ao COVID-19 e os trabalhadores enfrentaram desafios, incluindo o não pagamento de pedidos anteriores (e salários) e a quebra de sindicatos. Então, também apoiamos os trabalhadores.

Nossa resposta à Covid-19 (ou seja, para onde vai o $$$?):

• Entrega de comida (arroz, óleo, ovos) a vários grupos de pessoas que sofrem durante esse período, incluindo motoristas de ciclo-riquixá, profissionais do sexo, vendedores ambulantes e outras pessoas incapazes de ganhar seu salário diário durante o bloqueio, bem como os sem-teto que o Food Not Bombs apoia desde 2013. Os pacotes de comida que damos custam cerca de 5 libras cada (9.000 MMK) e podem alimentar uma pessoa por mais de uma semana. Também transferimos dinheiro digitalmente em alguns casos.

• Apoio a idosos – garantimos que pelo menos 10% de nosso financiamento serão destinados a apoiar idosos em nossas comunidades com comida e dinheiro; No momento, estamos configurando sistemas para transferir um suporte financeiro semanal ou mensal para essas pessoas usando mobile banking.

• Apoio a trabalhadores e pessoas envolvidas em greves trabalhistas, fornecendo alimentos e coisas básicas de que precisam, bem como apoio moral.

• Trabalhando para apoiar jovens em Sittwe, Rakhine, que desejam iniciar seu próprio grupo do Food Not Bombs no estado de Rakhine. Este grupo seria capaz de alcançar mais diretamente as comunidades minoritárias em Rakhine, bem como trabalhar para aumentar a paz entre grupos em uma área do país particularmente afetada por conflitos.

Estudo de casos:

Visitamos a casa da avó San Yee ontem (20/05). Nós a ajudamos com arroz, macarrão instantâneo, algumas frutas e dinheiro. Ela tem 88 anos agora. Mas, ainda é forte e corajosa. Nós ficamos com ela, ouvimos sua história e ganhamos muita inspiração. Ela é uma mulher incrível, forte e poderosa na história de Mianmar. Além disso, mesmo tendo nos visto apenas uma vez na semana passada, nos sentimos realmente como avó e netos quando nos encontramos novamente hoje. Ela estava tão feliz e agradecida.

Quem é Dar San Yee?

Seu nome é avó San Yee. Muitas pessoas de Mianmar a conhecem como “Dar San Yee”. Ela é uma heroína. Ela atacou e prendeu o homem responsável pelo Atentado de Rangum, em 9 de outubro de 1983. Ela é uma mulher incrível, forte e poderosa na história de Mianmar. Mas as pessoas a esqueceram.

No momento, ela está implorando dinheiro para sobreviver na rua. Ela está em uma situação muito difícil. 

Nossa história:

The Rebel Riot é uma banda punk de Yangon, Mianmar (Birmânia), formada em 2007 após o início da Saffron Revolution (Revolução do Açafrão). Desde então, eles capturaram a atenção do mundo com sua música franca, incluindo falas contra o ódio e a violência contra a minoria muçulmana Rohingya de Mianmar. Em 2013, eles fundaram o grupo de Mianmar do movimento internacional Food Not Bombs e colocaram seus ideais em ação, alimentando os sem-teto da Birmânia todas as semanas. Além de ser uma emergência de saúde pública, a pandemia de Covid-19 resultou em enormes perdas econômicas, especialmente para pessoas que já vivem à beira da fome; trabalhadores, operários, vendedores ambulantes e deslocados internos, para citar apenas alguns. O Food Not Bombs tem apoiado esses grupos com doações de alimentos durante esse período difícil, gastando as poucas economias que eles tinham e contando com amigos e apoiadores em Yangon para continuar. A entrada de dinheiro em Mianmar é complicada, devido a um sistema bancário fechado, por isso iniciamos esse levantamento internacional de fundos para permitir que nossos apoiadores internacionais prestem apoio direto àqueles que mais precisam.

>> Para apoiar, clique aqui:

https://www.crowdfunder.co.uk/food-not-bombs-myanmar-covid-19-response?fbclid=IwAR1-_rP_gWqVxYfxCz3w0w4Kfcw_6p8fEBpAYNMdLCPiHZXdKXL3ReE973E

Tradução > A. Padalecki

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2020/05/19/mianmar-movimento-food-not-bombs-para-pessoas-necessitadas/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2020/05/15/mianmar-movimento-food-not-bombs-distribui-alimentos-e-outros-itens-no-distrito-de-dagon-seikkan/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2020/05/12/mianmar-movimento-food-not-bombs-distribui-sacos-de-arroz-no-distrito-de-dala/

agência de notícias anarquistas-ana

cada haikai
uma nova peça
num quebra-cabeça sem fim

George Swede

Leave a Reply