[Espanha] A CGT considera processar por recrutamento irregular na Agência de Meio Ambiente e Água

Desde a Seção Sindical da CGT na Agência de Meio Ambiente e Água (AMAYA) na província de Huelva, gostaríamos de expressar nosso espanto e descontentamento com o departamento de Recursos Humanos desta Agência, após as reclamações que recebemos de vários trabalhadores que haviam sido contratados temporariamente para cobrir vagas no sistema INFOCA na atual campanha de incêndios florestais.

Estes trabalhadores sofreram um engano sem precedentes em uma Agência Pública quando foram chamados por volta do final de junho ou início de julho para substituir os trabalhadores da INFOCA em situação de T.I. (incapacidade temporária) enquanto se encontravam nesta situação (em alguns casos, com mais de 200 dias de licença previstos) e, no entanto, ficaram surpresos ao descobrir que haviam sido demitidos em 31 de agosto devido ao término de seu contrato (alguns deles receberam a notícia quando estavam realizando trabalhos de extinção no incêndio de Almonaster la Real), enquanto os companheiros do INFOCA que os haviam causado a contratação ainda se encontravam em incapacidade temporária.

Esta Seção Sindical entrou em contato com os gerentes de Recursos Humanos da Agência e após analisar a documentação contratual, percebemos que esses trabalhadores foram contratados de forma errada, mas conscientemente sob contratos de “circunstâncias de produção” de 1 mês, em vez de receberem um contrato “provisório”, como era apropriado nesses casos.

Quando os trabalhadores protestaram contra a assinatura desses contratos, receberam a garantia verbal de que “não havia problema, pois apesar de serem contratos de um mês, eles seriam prorrogados tantas vezes quanto necessário para cobrir pelo menos o período da campanha contra incêndios de 2020”, quando os contratos “circunstâncias de produção” só podem ser prorrogados uma vez em um período de seis meses.

Não podemos entender porque os departamentos de RH em qualquer empresa continuam a tolerar tal comportamento, especialmente em empresas que utilizam dinheiro público para realizar seu trabalho. Não é aceitável que os trabalhadores sejam chamados para cobrir as posições de outros trabalhadores que estão em TI e recebem outro tipo de contrato que não tem nada a ver com as circunstâncias para as quais foram chamados.

Ninguém responsável por esses departamentos de RH, ninguém encarregado destes departamentos de RH está ciente do esforço que estes trabalhadores fizeram quando vieram, alguns de províncias muito distantes, para trabalhar no sistema de combate a incêndios em Huelva. Com sua atitude, eles cortaram as opções de emprego desses trabalhadores, bem como os danos que serão causados a alguns deles no caso de alugarem a moradia em que estavam comprometidos.

A Seção Sindical da CGT encaminhou este assunto aos serviços jurídicos do sindicato para um estudo a ser realizado com o objetivo de tomar medidas legais contra a AMAYA, tendo em vista a situação relatada por estes trabalhadores.

Fonte: http://rojoynegro.info/articulo/acci%C3%B3n-sindical/cgt-estudia-demandar-contrataci%C3%B3n-irregular-la-agencia-medio-ambiente-agua

Tradução > Liberto

agência de notícias anarquistas-ana

Agora é inverno
e no mundo uma só cor;
o som do vento.

Matsuo Bashô

Leave a Reply