[Chile] Número especial da publicação “Ya no hay vuelta atras” | A democracia é a ordem do Capital: apontamentos contra a armadilha constituinte

Diante de um novo ciclo de eventos eleitorais que se abre com o plebiscito de “Aprovação” e “Rejeição”, com a intenção explícita de conduzir através dos canais institucionais todas as energias subversivas desdobradas intensamente desde 18 de outubro de 2019, apresentamos este material para contribuir para uma crítica da democracia como um sistema político inerente a uma forma de organização social baseada na exploração e dominação. Em particular, pretendemos contribuir para a avaliação crítica dos processos promovidos pela classe capitalista, tais como rearranjos constitucionais, que deixam intactas as categorias básicas e fundamentais da sociedade do capital (tal é seu objetivo), categorias contra as quais, instintiva e conscientemente, as exigências e críticas práticas de nossa classe são levantadas quando revoltas da magnitude que testemunhamos (e que protagonizamos como proletários imersos nas experiências de luta) eclodiram há alguns meses, antes da crise sanitária – e ditadura – da pandemia do coronavírus, e que hoje mais uma vez prova que ela não está enterrada ou completamente domesticada.

Trabalho, dinheiro, capital, o Estado, propriedade privada, mercadoria… são conceitos que não são letra morta em alguma carta magna, mas elementos que organizam nossa sociedade e sua miséria. Apresentamos uma revisão teórica e histórica de processos similares ao que estamos observando hoje, extraindo contribuições relevantes do passado e considerando também casos recentes em outros países. Encorajamos a leitura, discussão, crítica e divulgação.

Vamos à vida

>> Para baixar a publicação, clique aqui:

https://hacialavida.noblogs.org/files/2020/10/lademocraciaeselordendelcapital-versi%C3%B3n-web3.pdf

Fonte: https://hacialavida.noblogs.org/revista-la-democracia-es-el-orden-del-capital-apuntes-contra-la-trampa-constituyente-n-especial-ya-no-hay-vuelta-atras-octubre-2020/

agência de notícias anarquistas-ana

Varrendo folhas secas
lembrei-me do mar distante:
chuá de ondas chegando.

Anibal Beça

Leave a Reply