[França] Refugiados: Fechem os Centros de Detenção, libertem os prisioneiros!

Absurdo e criminoso. Essas são as duas palavras que podem resumir a situação dos estrangeiros presos no Centro de Detenção Administrativa (CRA).

Os Centros de Detenção Administrativa são prisões para estrangeiros. Homens, mulheres e crianças que o Estado francês aprisiona porque não possuem “documentos”.

Há 24 CRA na França. Todos continuaram funcionando: após 16 de março houve novas detenções, novas expulsões. O fechamento das fronteiras ainda impedia a máquina de deportação. Apesar disso, os CRA não foram fechados.

Mais de 150 estrangeiros foram detidos, em condições dramáticas da epidemia de coronavírus, expostos ao contágio. O atendimento médico foi negado aos detidos doentes. A violência e a arbitrariedade dos guardas continuam a reinar, segundo vários testemunhos. Isso porque os encarcerados falam e lutam.

Em vários CRAs, em Oissel, em Mesnil-Amelot, em Vincennes, eclodiram revoltas recusando a ordem dos guardas e da detenção, protestando por estarem entregues à doença. No sábado, 11 de abril, os detentos de Mesnil-Amelot se recusaram a voltar aos prédios e passaram a noite do lado de fora, com os colchões no chão da quadra. Em 12 de abril, foi no CRA em Vincennes que a raiva dos detentos explodiu com a recusa de hospitalização de um de seus parentes, que sofria de Covid-19. Em 13 de março, os detidos do CRA em Lille-Lesquin alertaram para um caso de coronavírus e começaram uma greve de fome. Um mês depois, em 13 de abril, os presos pelo CRA de Oissel na aglomeração de Rouen exigiam sua libertação.

Abolir a detenção

Porque, diante da repressão e da recusa de proteção, é o fechamento dos CRA e a libertação dos presos que sempre foi importante. Em 23 de março, cinco organizações, incluindo Cimade, Gisti e o Syndicatdes Avocats de France (SAF – Sindicato de Advogados na França), recorreram ao Conselho de Estado para solicitar o fechamento. Uma solicitação que o Conselho de Estado examinou, ousando especificar que o confinamento deve durar “o tempo estritamente necessário”: mas do que estamos falando quando as fronteiras são fechadas devido a uma pandemia?

O fechamento também foi solicitado pelo defensor dos direitos humanos, o controlador geral dos locais de privação de liberdade e o presidente da Comissão Consultiva Nacional de Direitos Humanos, que consideraram “ilegal” mantê-los em detenção.

Associações, coletivos, sindicatos apoiaram as revoltas dos encarcerados, exigiram sua libertação. Por serem indicativos de racismo estatal, precisamos ampliar a mobilização e não desistir do que exigimos: fechar os CRAs e nunca reabri-los.

Théo (UCL Orléans)

Fonte: https://www.unioncommunistelibertaire.org/?Refugie-es-Fermez-les-CRA-liberez-les-enferme-es

Tradução > Estrela

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2020/05/01/franca-coletes-negros-autodefesa-imigrante-apenas-a-luta-dara-os-documentos/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2020/04/20/franca-violencia-policial-uma-carta-aberta-desde-calais/

agência de notícias anarquistas-ana

Velhinha curvada
Olha com esforço
Flores do jacarandá.

Wesley Silva Santos, 12 anos

Leave a Reply